SOL

Imagens caídas

Uma imagem vale mais do que mil palavras. Porque não fazer o contrário? Com as palavras construir e falar de imagens.

News

Sexo no Cinema (Interlúdio) - Tudo Nu, Finalmente as Imagens (Não estão caídas, estão Assombradas!!!)-

Antes de avançar para a fase final da Trilogia (a que vai falar sobre o truca-truca propriamente dito) eis aqui um pequeno interlúdio para repousar a vista e mostrar que aquilo que andei a falar sobre a nudez , nos post anteriores, não foi delírio meu.  

Quebro assim uma regra na política editorial (ah, Ah, Ah! Onde é que eu já ouvi isto por aqui na Comunidade?!)

É certo que houve muita nudez ao longo da história do cinema. Escolhi aquela que considero ser a mais representativa, nomeadamente pela sua novidade no momento.

Audrey Munson

Audrey Munson foi a primeira actriz protagonista a aparecer nua, em 1915, em Inspiração.

o        

Annette KellermanAnnette Kellerman, em 1916, a derrubar a barreira da nudez frontal feita por uma actriz principal, no filme A Daughter of the Gods.

o        .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

GildaEm 1946 a nudez integral mais vestida do cinema, Gilda. Com uma simples luva despiu-se completamente.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

o        

HarrietEm 1953, Summer with Monika, de Ingmar Bergman., com  as nalguinhas da  Harriet Andersson a correr numa praia.

.

.

.

o        

BBBrigitte Bardot! Com o filme E Deus Criou a Mulher, em 1956,  mostrou-se nua na primeira cena do filme francês do Roger Vadim

 .

 .

.

o        

Marikyn MonroeEm 1962 o filme inacabado mais famoso de sempre, Something's Got to Give, tinha a nudez mais esperada de Marilyn, na célebre cena da piscina.

.

.

.

o        

BB2Mais tarde, Jean-Luc Godard voltou a mostrar o rabiosque da Diva BB, no filme Le Mépris, em 1963.

 

o        

Jayne Mansfield Jayne Mansfield tornou-se a primeira actriz norte-americana conhecida do grande público a aparecer nua, mostrando seus seios e o seu rabiosque em 1963 no Promises! Promises!

o        

JoeAinda que não fosse no mainstream, quase que podemos dizer que Joe Dallesandro foi o primeiro homem a aprecer completamente nu no cinema, em 1968, no filme Flesh de Paul Morrissey, sobre a inspiração de Andy Warhol’s. Mas para mim não conta porque ele era uma meia porno star e trata-se de um filme underground.

o        

GodardGodard voltaria à carga, e a chocar, em 1969 com British Sounds, um filme experimental onde mostra um longo close-up do púbis de uma mulher.

.

.

.

.

o        

o        

o        

CMFoi em 1969, com o Cowboy da Meia-noite, do John Schlesinger, que o nu masculino apareceu em força num filme para o grande público, com o Jonh Voight a dar o corpo ao manifesto.

.

.

 o        

  Mulheres ApaixonadasApesar de If  já ter mostrado timidamente a rapaziada, foi, no entanto, Mulheres Apaixonadas, de Ken Russel, em 1969, a apresentar a nudez frontal masculina, sem complexos, fora do ambiente de duche, e para vários actores.

.

.

.

.

.

.

.

o        

SaloEm 1971, com Decameron, e até 1975, com Salo, Pier Paolo Pasolini veio introduzir na nudez um conceito de crueza e de excesso, tornando-a banal a partir daí.

.

.

.

.

.

.

.

o        

1900Em 1976 Bertolluci, no filme 1900, voltou a arriscar mostrando Robert de Niro e Gerard Depardieu frontalmente numa sessão com uma prostituta, cena que foi censurada na versão EUA.

.

.

o        

Lagoa AzulEm 1980 quando tudo parecia já ter sido mostrado, caiu outra fasquia, mostrar a nudez destinada a um público juvenil e infantil, com a famosa Lagoa Azul.

.

.

.

.

o        

SOBEm 1981 mais um choque. O símbolo de toda uma geração doce e familiar, Julie Andrews, mostra os seios em SOB, para salvar um filme.

.

.

.

.

o        

Basic InstinctEm 1992 Sharon Stone e o seu famoso (des)cruzar de pernas. Não mostrou nada que não tivesse já sido visto. Mas a forma como mostrou e a importância disso na narrativa fez dela um marco.

.

.

o        

o        

o        

o        

o        

o        

o        

E agora o regabofe total. Fica Ken Park como exemplo, até ao meu regresso.

o        

Ken park

Audrey Munson

Audrey Munson foi a primeira actriz protagonista a aparecer nua, em 1915, em Inspiração.

o        

Annette KellermanAnnette Kellerman, em 1916, a derrubar a barreira da nudez frontal feita por uma actriz principal, no filme A Daughter of the Gods.

o        .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

GildaEm 1946 a nudez integral mais vestida do cinema, Gilda. Com uma simples luva despiu-se completamente.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

o        

HarrietEm 1953, Summer with Monika, de Ingmar Bergman., com  as nalguinhas da  Harriet Andersson a correr numa praia.

.

.

.

o        

BBBrigitte Bardot! Com o filme E Deus Criou a Mulher, em 1956,  mostrou-se nua na primeira cena do filme francês do Roger Vadim

 .

 .

.

o        

Marikyn MonroeEm 1962 o filme inacabado mais famoso de sempre, Something's Got to Give, tinha a nudez mais esperada de Marilyn, na célebre cena da piscina.

.

.

.

o        

BB2Mais tarde, Jean-Luc Godard voltou a mostrar o rabiosque da Diva BB, no filme Le Mépris, em 1963.

 

o        

Jayne Mansfield Jayne Mansfield tornou-se a primeira actriz norte-americana conhecida do grande público a aparecer nua, mostrando seus seios e o seu rabiosque em 1963 no Promises! Promises!

o        

JoeAinda que não fosse no mainstream, quase que podemos dizer que Joe Dallesandro foi o primeiro homem a aprecer completamente nu no cinema, em 1968, no filme Flesh de Paul Morrissey, sobre a inspiração de Andy Warhol’s. Mas para mim não conta porque ele era uma meia porno star e trata-se de um filme underground.

o        

GodardGodard voltaria à carga, e a chocar, em 1969 com British Sounds, um filme experimental onde mostra um longo close-up do púbis de uma mulher.

.

.

.

.

o        

o        

o        

CMFoi em 1969, com o Cowboy da Meia-noite, do John Schlesinger, que o nu masculino apareceu em força num filme para o grande público, com o Jonh Voight a dar o corpo ao manifesto.

.

.

 o        

  Mulheres ApaixonadasApesar de If  já ter mostrado timidamente a rapaziada, foi, no entanto, Mulheres Apaixonadas, de Ken Russel, em 1969, a apresentar a nudez frontal masculina, sem complexos, fora do ambiente de duche, e para vários actores.

.

.

.

.

.

.

.

o        

SaloEm 1971, com Decameron, e até 1975, com Salo, Pier Paolo Pasolini veio introduzir na nudez um conceito de crueza e de excesso, tornando-a banal a partir daí.

.

.

.

.

.

.

.

o        

1900Em 1976 Bertolluci, no filme 1900, voltou a arriscar mostrando Robert de Niro e Gerard Depardieu frontalmente numa sessão com uma prostituta, cena que foi censurada na versão EUA.

.

.

o        

Lagoa AzulEm 1980 quando tudo parecia já ter sido mostrado, caiu outra fasquia, mostrar a nudez destinada a um público juvenil e infantil, com a famosa Lagoa Azul.

.

.

.

.

o        

SOBEm 1981 mais um choque. O símbolo de toda uma geração doce e familiar, Julie Andrews, mostra os seios em SOB, para salvar um filme.

.

.

.

.

o        

Basic InstinctEm 1992 Sharon Stone e o seu famoso (des)cruzar de pernas. Não mostrou nada que não tivesse já sido visto. Mas a forma como mostrou e a importância disso na narrativa fez dela um marco.

.

.

o        

o        

o        

o        

o        

o        

o        

E agora o regabofe total. Fica Ken Park como exemplo, até ao meu regresso.

o        

Ken park

Audrey Munson

Audrey Munson foi a primeira actriz protagonista a aparecer nua, em 1915, em Inspiração.

o        

Annette KellermanAnnette Kellerman, em 1916, a derrubar a barreira da nudez frontal feita por uma actriz principal, no filme A Daughter of the Gods.

o        .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

 

GildaEm 1946 a nudez integral mais vestida do cinema, Gilda. Com uma simples luva despiu-se completamente.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

o        

HarrietEm 1953, Summer with Monika, de Ingmar Bergman., com  as nalguinhas da  Harriet Andersson a correr numa praia.

.

.

.

o        

BBBrigitte Bardot! Com o filme E Deus Criou a Mulher, em 1956,  mostrou-se nua na primeira cena do filme francês do Roger Vadim

 .

 .

.

o        

Marikyn MonroeEm 1962 o filme inacabado mais famoso de sempre, Something's Got to Give, tinha a nudez mais esperada de Marilyn, na célebre cena da piscina.

.

.

.

o        

BB2Mais tarde, Jean-Luc Godard voltou a mostrar o rabiosque da Diva BB, no filme Le Mépris, em 1963.

 

o        

Jayne Mansfield Jayne Mansfield tornou-se a primeira actriz norte-americana conhecida do grande público a aparecer nua, mostrando seus seios e o seu rabiosque em 1963 no Promises! Promises!

o        

JoeAinda que não fosse no mainstream, quase que podemos dizer que Joe Dallesandro foi o primeiro homem a aprecer completamente nu no cinema, em 1968, no filme Flesh de Paul Morrissey, sobre a inspiração de Andy Warhol’s. Mas para mim não conta porque ele era uma meia porno star e trata-se de um filme underground.

o        

GodardGodard voltaria à carga, e a chocar, em 1969 com British Sounds, um filme experimental onde mostra um longo close-up do púbis de uma mulher.

.

.

.

.

o        

o        

o        

CMFoi em 1969, com o Cowboy da Meia-noite, do John Schlesinger, que o nu masculino apareceu em força num filme para o grande público, com o Jonh Voight a dar o corpo ao manifesto.

.

.

 o        

  Mulheres ApaixonadasApesar de If  já ter mostrado timidamente a rapaziada, foi, no entanto, Mulheres Apaixonadas, de Ken Russel, em 1969, a apresentar a nudez frontal masculina, sem complexos, fora do ambiente de duche, e para vários actores.

.

.

.

.

.

.

.

o        

SaloEm 1971, com Decameron, e até 1975, com Salo, Pier Paolo Pasolini veio introduzir na nudez um conceito de crueza e de excesso, tornando-a banal a partir daí.

.

.

.

.

.

.

.

o        

1900Em 1976 Bertolluci, no filme 1900, voltou a arriscar mostrando Robert de Niro e Gerard Depardieu frontalmente numa sessão com uma prostituta, cena que foi censurada na versão EUA.

.

.

o        

Lagoa AzulEm 1980 quando tudo parecia já ter sido mostrado, caiu outra fasquia, mostrar a nudez destinada a um público juvenil e infantil, com a famosa Lagoa Azul.

.

.

.

.

o        

SOBEm 1981 mais um choque. O símbolo de toda uma geração doce e familiar, Julie Andrews, mostra os seios em SOB, para salvar um filme.

.

.

.

.

o        

Basic InstinctEm 1992 Sharon Stone e o seu famoso (des)cruzar de pernas. Não mostrou nada que não tivesse já sido visto. Mas a forma como mostrou e a importância disso na narrativa fez dela um marco.

.

.

o        

o        

o        

o        

o        

o        

o        

E agora o regabofe total. Fica Ken Park como exemplo, até ao meu regresso.

o        

Ken park

Posted: domingo, 15 de Julho de 2007 12:58 por bp63
Arquivado em: , , , , , ,

Comentários

bp63 said:

Decididamente as imagens para mim, estão mesmo caídas!!!!

# Julho 15, 2007 16:39

ifabiao said:

Bom, pelo menos não se mostram só mulheres...

Contudo,desde a primeira mulher até o primeiro homem nu surgir, decorreram 53 anos! É impressionante como as mulheres são o "isco" para muitos fins :-)

bjks

# Julho 15, 2007 17:41

bluewater68 said:

Smile

bp63, tu andaste a adiar as imagens neste blogue. Quando te rendeste às evidências, a estreia foi mesmo em grando.

Agora, a parte desagradável. Este post, da forma que está feito representa paciência de chinês. Nunca poderia ter sido feito assim, sob pena de cair nos bugs da aplicação. Estes duplicados, por mais que se tente, já não vão desaparecer. Solução, apagar e fazer tudo de novo.

Eu ainda te vou responder à mensagem e lá dou-te umas ideias.

Até já

# Julho 15, 2007 17:46

bp63 said:

Ifabiao

Não sei se será bem assim. É natural que pudesse haver outra nudez masculina antes, mas deve-se ter perdido no tempo por não terem dado importância. Aliás acho que há uns documentários (anos 50) e umas séries B (princípios anos 60) em que já apareceram, mas isto não conta porque é outra Divisão, e nem sequer eram actores profissionais.

Mas penso que uma das razões principais foi sempre terem dito que as mulheres não davam importância ao factor físico. Logo para quê mostrar o homem em pelota? Elas não ligavam (dizem, que não reagem ao estimulo do nu como o homem, dizem, não sei) e os Gays jogavam noutro campeonato.

A sério, penso que a razão principal foi o cinema sempre ter sido um negócio de homens.

bjs

bp63

# Julho 15, 2007 18:08

bp63 said:

BW

Sempre tentei evitar as imagens porque o objectivo era precisamente o contrário, fazer das palavras a imagem.

Sei que uma Imagem é esmagadora, tipo eucalipto, seca tudo à volta. Além de simplificar tudo. Põem-se uma imagem e já está, preguiça nas palavras e principalmente nas ideias.

Mas também sei que só ela consegue sustentar firmemente todas as palavras.

Ao reler o meu último post, além das brincadeiras analíticas, achei que não era muito justo andar a invocar factos e não os mostrar. Parecia que era tudo inventado.

Assim, achei por bem vir a terreno e mostrar o que tinha dito anteriormente, com a prova do crime.

Maldita hora, ia arrancando os cabelos. Quase que tive para o não publicar. Já tinha publicado imagens num outro Blogue fora do Sol (projecto que morreu) e não achei complicado. Será problema do software aqui disponibilizado?! Será azelhice minha?!

Espero numa próxima (se houver!!!) correr melhor.

Bp63

# Julho 15, 2007 18:18

anatarouca said:

Bp63,

este problema das imagens em duplicado toca a todos. Também já passei horas de volta de um simples post à conta dos duplicado para chegar à conclusão que só fazendo tudo de novo...tipo penitência!

Gostei de ver as imagens depois de ter lido o post anterior, agora com a comprovação das imagens... mas devo confessar que gosto ainda mais dos teus posts em que as imagens realmente caem e dão lugar a uma prosa cheia de humor.

Bjs

Ana T.

# Julho 15, 2007 21:50

bluewater68 said:

Bp63,

já te enviei um manual do tipo "Ler apenas quando tudo o resto falhar". Espero que ajude.

# Julho 15, 2007 21:53

bp63 said:

AnaT

Eu também prefiro a imagem resultante do texto. Este foi só para mostrar os factos e fazer uma experiência. Maldita experiência!

Em lugar de Imagem Caídas vou passar a chamar-me Imagens Assombradas.

Bjs

Bp63

# Julho 15, 2007 22:29

AMP said:

A análise aos resultados das eleições na CML, com os principais derrotados e também vencedores! Também os principais assuntos futebolísticos debatidos diariamente! Não deixe de visitar: http://aguia-de-ouro.blogspot.com/ Obrigado!
# Julho 16, 2007 3:26

Annnna said:

Ultimate

Ai credo tudo nu!!!!!!!! eheheheheh

Agora a sério, gostei muito deste post, deu concerteza muito trabalho a elaborar.

Um beijo enorme

Annnna

# Julho 16, 2007 8:57

Nemesis said:

Este blogue é uma espécie de indemnização moral por uma data de outros. Não se dedica a afirmar-se e a festejar-se paladino do atraso de país obscurantista que somos e oferece-nos artigos duma qualidade espantosa (e alguns devem dar mesmo muuuuito trabalho, como é o caso deste). Sabendo já um bocadinho do que a casa gasta, imagino o trauma que estas imagens em duplicado devem ter causado ao seu autor por isso deixo aqui a minha solidariedade e a garantia de que em si todo o bug é charme adicional :)

um abraço

nemesis

# Julho 17, 2007 16:26

pessoalissimo said:

Olaaaaaaaaaá!!!

Isto é NUDEZ em triplicado, para nossa gaúdio!

Não há dúvida que os bugs desta aplicação que gere os blogues do SOL são de fazer perder a paciência a qualquer mortal, pois também eu já me confrontei com eles. E com esses "bichos" só há uma hipótese de vencer, exterminação total! E refazer tudo de novo.

Mas o BW, o "alma mater" desta comunidade, já lhe deve ter dado as dicas necessárias.

Sobre este post: Que bela pesquisa aqui tem, algo que eu julgava impossível de conseguir fazer-se, isto está publicado nalguma parte da net ou em algum livro? Suspeito que não, que é pesquisa sua.

Fico à espera da terceira parte da trilogia.

Um grande abraço.

Fernando

# Julho 20, 2007 16:25

bp63 said:

Pois é Annnna!

Tudo nu e a duplicar (ou será a triplicar?).

Eis o Meco num post!!!

Bjs

# Julho 21, 2007 19:12

bp63 said:

Pois é Nemesis!

Foi mesmo um trauma. Uma trabalheira dos diabos para depois ficar neste estado. Faz lembrar quando nos dedicamos carinhosamente a fazer um pitéu na culinária para receber alguém muito especial e depois sai algo que é quase um insulto à qualidade da pessoa convidada.

Quanto à forma diferente de falar das coisas, obrigado pelo elogio. Tento contrariar a leitura de do eterno ?ai a sede que eu tenho, ai a sede que eu tinha!? que parece arrasar este país e o mundo ?blogoesférico?. Digo tento. Nem sempre consigo. Não sou melhor do que ninguém, apenas tento traçar um caminho mais ?meu?, menos ?deles?.

Abraço.

# Julho 21, 2007 19:22

bp63 said:

Caro pessoalíssimo Fernando

Isto não é um bug, é uma praga completa. Só não fui pelo ?Exterminador Implacável 63?, pela minha falta de tempo antes duma ausência de alguns dias. Agora, pelo nº de entradas, já não vale a pena. Quem tinha que ver, e merecia ver em condições, já viu. Já caiu a chuvada sobre a festa, não vale a pena ir pôr os toldos quando os convidados já foram embora encharcados como um pinto (pela má qualidade da apresentação).

Claro que o eterno BW já me deu umas dicas. Numa próxima, será só mesmo nabice minha se, após boa explicação, continuar a cometer os mesmos erros. Também não queria fazer das imagens uma mais valia. O lema é que elas estão caídas (boa desculpa, ah, ah!!!). Fabricar as imagens através da conversa. Claro que uma boa imagem dá um colorido diferente às palavras. Vou tentar equilibrar as coisas.

Quanto à lista, ela é em primeiro lugar uma opção minha. Se é verdade que estão ali algumas fotos que só poderiam ser aquelas, como a da Audrey Munson,  outras são a minha escolha, face àquilo que penso, humildemente, ser o seu enquadramento histórico no cinema.

Parti de uns velhos livros e confirmei os factos na net. Há muita coisa, desde a wikipédia (que tem uma boa recolha) até à Internet Dabase Movie. Mas a net é um poço sem fundo, temos que ter uma linha condutora para não nos perdemos. Essa linha é ainda a minha memória do cinema que vi e li.

Infelizmente não lhe posso dar um site único onde esteja a lista publicada acima. Mas o Google é tão nosso amigo!!

1 abraço.

# Julho 21, 2007 19:41

pessoalissimo said:

Olá

Lembrei-me agora...

Então e o "Emmanuelle", de Just Jaeckincom, com a modelo Sylvia Kristel, feito em França nos anos 70 (creio que em 74), não foi um símbolo da nudez no cinema? Aquilo é que foi um "escândalo nacional" e internacional... O que eu penei para o ver!

Bom domingo

Fernando

# Julho 22, 2007 11:44

pessoalissimo said:

Só mais uma coisa:

Deixe lá as imagens caídas para o políticamente correcto. Ter aqui um blogue sobre cinema e não termos "gajas e gajos bons e bonitos" não tem graça nenhuma. E agora com as dicas que já tem já pode pôr aqui algumas imagens do "EMMANUELLE" e outros que tais. :)

E garanto-lhe um score de visitas muito superior ao actual. Aproveite esta dica ;)

Fernando

# Julho 22, 2007 11:51

bp63 said:

Caro Fernando

A Emmanuele não ficou esquecida. Nem poderia.

Faz parte do próximo bloco. Achei que a nudez dela, só como corpo nu, não trouxe nada de novo, porque relativamente à mulher já tinha sido tudo mostrado. Relativamente ao sexo em si, é realmente um marco, por isso será a principal referência de um género que apelidei de CITES. Descodificarei tudo no próximo post.

Abraço

bp63

# Julho 22, 2007 17:41

star said:

bp63

DEIXE LÁ AS IMAGENS EM DUPLICADO,ACONTECE...

QUE GRANDE TRABALHO TEVE PARA PESQUISAR TUDO ISTO!!

UM ABRAÇO

STAR

# Julho 22, 2007 18:37

dissidencias said:

Olá Brad Pitt,

Em Outubro de 92, quando entrei na Universidade em Coimbra, fui ver o meu primeiro filme em Coimbra, ao Solum, e deliciei-me com o cruzar de pernas da pequena Sharon... Aquilo para um caloiro soube mesmo bem... :-)

Um abraço

dissidencias

# Julho 22, 2007 23:47

bp63 said:

Star

O trabalho de pesquisa foi ínfimo quando comparado com a paranóia das fotos. O tirar e pôr e aquilo a ficar cada vez pior. Mas pronto, é o que se pode arranjar. Para a próxima melhores ventos virão.

1 abraço

Bp63

# Julho 23, 2007 21:19

bp63 said:

Caro Dissidências

Pois é! Eu nunca tive esses arrebates. A minha passagem pelos cineclubes e cinematecas nos meus 20 anos levou-me a ter uma overdose de sexo on movies, melhor, sexe dans les films (porque era quase tudo europeu), que depois qualquer coisa era refresco.

Apenas me lembro de aos meus 14 anos ir ver um filme para maiores de 18, Dona Flor e os seus 2 maridos. Ai como vibrei (com muitas ? ?) com a ?Soninha Braba?.

1 abraço

Bp63

# Julho 23, 2007 21:25

massapinaopiniontotal said:

Caro Amigo

Pois tirando o triplicado, o restante esta bem idealizado, e as fotos muito bem selecionadas.

Parabens pelo trabalho, ainda mais que revela uma boa mão cheia de grandes nomes do cinema, para terminar com a ideia de que o cinema não pode tratar com qualidade a nudez.

Um Abraço

# Setembro 6, 2007 4:04

bp63 said:

Obrigado massapinaopiniototal

Talvez volte com mais um punhado de referências que ilustrem os post que tenho vindo a escrever com a mesma temática, e desta vez sem fantasmas.

abraço

bp63

# Setembro 8, 2007 11:44

wilsonmorgado said:

# Novembro 11, 2007 14:22
Para comentar necessita de estar registado