Dos Grandes Navegadores...

Os Grandes Navegadores…
“…Os grandes navegadores devem a sua reputação aos temporais e às tempestades.….
O sábio teme o céu sereno; contudo, quando vem a tempestade ele caminha sobre as ondas e desafia o vento…”


Com tantos anos passados África volta finalmente a ser um Continente com futuro. Angola é hoje o refúgio da possibilidade de muitos salvarem as vidas. No que refere a construção civil, por exemplo, é o principal pólo de atracção para os que perderam tudo em Portugal e na Europa. Não falta trabalho em toda a África e oportunidade. Qualquer tipo de empresa pode ser viabilizada. O que é preciso são ideias e soluções. A Área é imensa e a errata assim obriga. È o movimento de rotação da vida dos humanos na terra. Quando algo mau acaba algo bom começa. As voltas que a vida nos dá!..e como tudo vai rolando. Pois está mais claro ainda tudo o que venho dizendo por via das áreas geográficas e dos valores em questão sempre importantes nas valorizações e, íamos então de mal a pior se acreditássemos na simples condição do: “ é assim mesmo ”… “ o português é assim mesmo ”.; eu afirmo ou diria que os humanos são assim mesmo. Pois está claro que enquanto insistirmos nesta ideia do português é que é assim e pronto isto vai andando de mal a pior …. Como os portugueses, por todo o mundo há pessoas de todos os países, mal intencionadas, como podemos sentir e ver nas crises mundiais instaladas; não há Oração que nos salve neste contexto, e, nem Profecia que nos condene. Nós somos feitos da mesma matéria dos nossos sonhos e ponto final.

Como portuguesa e humana considero-me pessoa de bem; defini e caracterizei, a grande maioria dos humanos e também os portugueses como pessoas de bem. Os portugueses são pessoas capazes. Os portugueses conseguem. Há humanos que são maiores, e há outros que são menores; Há Portugueses, com maiúscula-,, com raça, com a nobreza no carácter, capazes de mover montanhas e capazes de pensar todos os dias, que “ sim nos podemos ” sim nós conseguimos; nós somos honestos, somos leais e verdadeiros, nas tentativas de resolução dos nossos problemas. Nós temos as soluções para os nossos problemas, e se eles continuam nós também continuamos a pensar nas soluções para esses mesmos problemas; só que infelizmente quem nos coloca os problemas na grande maioria das vezes fica no foco do nosso objectivo e acaba por ser a distracção que nos desvia da boa concentração na resolução para a solução e para a realização do nosso ideal. Somos os filhos de gema mas de raça, destemidos patriotas, e também há os filhos de gema mas da mãe, destemidos nas batotas; são os portugueses de gema que nunca saem do ovo da galinha que os põe... Enfim galinhas essas feitas da gema de outras galinhas também mas que nunca foram além... E claro que, com os ovos em choco a reprodução acontece a um grande aquecimento quase global, que nos põe a todos a ferver e com os neurónios e as hormonas às avessas, capazes de explodir com relação as mágoas do passado que nos marcaram o presente difíceis de combater no nosso quotidiano e que nos deixam em desequilíbrio. Que nos deixam molhados de tanto suor... Mas, o importante é que tenhamos a coragem de reconhecer solucionando-o.

O bio-ritmo, (conjunto de sensações, emoções e sentimentos que nos consomem como que um combustível de um sistema importantíssimo que nos orienta como é o Sistema Nervoso Central), depende por consequência do nível entre o lado espiritual e o o nível do lado material em nossas vidas; se acontecem níveis paralelos e muito semelhantes, estamos em equilíbrio e se não acontecem entramos em desequilíbrio; ou seja, se vivemos e temos nas nossas vidas em valores materiais o que necessitamos, e, com os valores espirituais, soubermos repartir aquilo que não necessitamos, com as pessoas certas em nosso redor, sentimo-nos num equilíbrio naturalmente perfeito. Ter mais de um e menos de outro seja em que proporção for é sempre prejudicial. Não ter nada ou não dar valor algum a nenhum dos lados, é a pobreza e a miséria final. A balança gera-se inútil, o biorritmo entra em lacuna, o desalinho acontece e quando tal sentimo-nos não pertença daquele contexto surpreendente que revolta e entristece. Viver a vida pode ter muitos significados …??!! Ou seja, pode trazer óptimos resultados e ao invés pode também trazer consigo prejuízos avultados. Não podemos perder o equilíbrio por mais forte que seja o vento da tempestade; essa tempestade no peito que transforma e exercita a alma; Procurando uma maneira de ser nesse realismo que me faz viver num mundo tão meu e tão feliz. Mas, tenho medos, sou como os mortais, vou vivendo esse tempo, o tempo que a vida me permite; espelho de uma viagem que vai reflectindo e reflecte aquilo que sou, que dou, e que vou transformando. Que bom que é poder falar do que nos apeteça falar e se agora apetece falar de Amor fale-se do verdadeiro Amor. Daquele amor puro e verdadeiro sem segundas intenções; aquele que conta em primeiro. Aquele que nos enche as medidas no bio-ritmo perfeito, e aí sim, deito-me com certeza no leito desse alguém que me toca profundamente equilibrando o meu bio-rítmo em um determinado momento e a preceito; e, claro, também impossível praticá-lo com alguém que o põe em desequilíbrio em qualquer determinado momento. Por vezes a confusão acontece e sentimo-nos completamente desumanos, cometendo actos que nos fazem sentir estranhos. Sem o verdadeiro amor a humanidade torna-se utópica; confundimo-nos e perdemo-nos no meio de tanto animal.

Da humanidade são as leis dos homens aquelas que alteram a natureza e a verdadeira essência das coisas e dos sentidos, ou seja da verdade e do real. Eu escolho e prefiro as leis do Universo e da Ciência ou seja aquelas que regem a pura e verdadeira essência da vida que nos consome. A universalidade é preferível à humanidade e isso podemos confirmar à vista desarmada. Que humanidade? Onde viram os homens praticar a humanidade, viram também os vestígios da guerra e da maldade. A lixeira da traição e da falsidade que nos adoece porque cheira muito mal. A poluição da nação. Antes, enquanto se gastou o dinheiro com o supérfluo e com o que se não devia, ninguém pensava em causas humanitárias. Catarina Furtado desde a Guiné mostrou hoje o resultado de uma das muitas leis da humanidade, mas, sobretudo mostrou o tanto que há para fazer em terras africanas, em defesa da universalidade, do bio-rítmo, do espaço, da vida, dos valores, das conquistas e dos prejuízos, da terra, da natureza e dos seres humanos. " Lembrar é fácil para quem tem memória. Esquecer é difícil para quem tem coração " Esquecer... Esquecer... Será sempre a melhor opção? Claro que não! Viver a vida pode ter muitos significados …??!! Pode trazer óptimos resultados e ao invés pode também trazer consigo prejuízos avultados. Viver a vida... sem a questão do amor verdadeiro e sem a razão do bio ritmo resolvida, como sejam o lado material e o lado espiritual em equilíbrio, pode trazer diversos problemas de saúde mental. Por isso devemos viver a vida sim, desabafar muito e sempre, mas, saudavelmente, numa atitude de bom senso e bom alento; porque, os erros são nocivos para o nosso estado mental provocando mais tarde doenças no nosso estado físico. Se o equilíbrio natural do indivíduo humano não existe afinal em lado nenhum da terra, então porque razão continuamos a pensar, a viver e, a navegar como se ele existisse?

Março de 2009
MP (reservado a direitos autorais)


Publicação: terça-feira, 3 de Março de 2009 2:57 por manuelapinheiro

Comentários

# re: Pensando e Vivendo a Vida

terça-feira, 3 de Março de 2009 3:35 por PedroPenedo

Tem aqui um post e tantos.

Um elogio aos portugueses (as) e uma porta aberta para oportunidades.

Agora fartam-se de dizer para aí que os portugueses não querem trabalhar. Felizmente não há regra sem excepção.

# re: Pensando e Vivendo a Vida

sexta-feira, 6 de Março de 2009 15:21 por OlindaGil

Olá Amiga Manuela

Parabéns pelo texto que nos deixaste.

Como és uma artista, quero convidar-te para uma exposição que tenho no meu blogue.

Beijinhos

# re: Dos Grandes Navegadores...

domingo, 8 de Março de 2009 20:31 por OlindaGil

Olá Amiga Manuela

Venho desejar-te um Feliz Dia da Mulher!

Participei também na exposição de pintura colectiva que hoje se inaugurou em Castro Verde e da qual tinha falado no post anterior, por isso queria mostrar-vos alguns dos meus quadros que aqui se encontram.

Gostaria que me desses a tua opinião e se vale a pena continuar.

Beijinhos

# re: Dos Grandes Navegadores...

segunda-feira, 9 de Março de 2009 22:00 por albertoluis

Manuela Pinheiro,

Um magnífico texto sobre "Portugalidade."

Se não acreditarmos em nós próprios,quem vai

acreditar!

# re: Dos Grandes Navegadores...

sábado, 14 de Março de 2009 22:18 por josereis

manuelaaaaaaaaaa  minha fofinhaaaaaaaaa

O teu texo é enorme,precisei de pedir a lupa do nosso amigo Fernando Pessoa para o ler.

Bom fds com muitos beijinhos alentejanos,cá do zoãozinho.

# re: Dos Grandes Navegadores...

domingo, 22 de Março de 2009 22:57 por manuelapinheiro

...... Oh amigo e será que com a lupa conseguiu perceber alguma coisa????? Deus queira que sim! Sinceramente lamento a sua falta de visibilidade... Melhores cumprimentos. Boa semana e sobretudo muita mas muita saúde.

Para comentar necessita de estar registado