O cidadão ateniense versus o escravo

                                                     

"Na linguagem actual, o cidadão é o indivíduo nascido de pai e mãe cidadã, não bastando uma destas condições. A natureza fez os corpos dos homens livres diferentes dos dos escravos, dando a estes o vigor necessário para as obras difíceis da sociedade e fazendo, contrariamente, os primeiros incapazes de dobrar o seu recto corpo para se dedicarem aos trabalhos pesados, destinando-os somente às funções da vida civil, repartida entre as ocupações da guerra e da paz."

Aristótles, Política

A sociedade ateniense era constituída por três grupos bem dis­tintos:


- os cidadãos, homens livres, com mais de 18 anos, filhos de pai e mãe atenienses. Eram os únicos a possuir terras na Ática. Só eles tinham direitos políticos, participando nas assembleias, conselhos e tribunais. Constituíam uma minoria da população, cerca de 10% em meados do século V a. C.


cidadãos
- os metecos, estrangeiros que viviam na cidade-estado de Atenas. Eram homens livres, mas sem direitos políticos, estavam sujeitos ao serviço militar e ao pagamento de impostos. Dedicavam-se ao comér­cio e ao artesanato. Excepcionalmente, podiam tornar-se cidadãos;

                  

- os escravos, homens não-livres, ocupados em tarefas variadas como a agricultura, artesanato, comércio, trabalhos domésticos. Eram prisioneiros de guerra ou pessoas raptadas por piratas. Cons­tituíam cerca de 1/3 da população.

Mulheres gregas

        Assim, a sociedade ateniense era dominada por uma minoria - os cidadãos, os únicos que tinham direitos políticos. Estes direitos eram exercidos nos órgãos de poder e nos lugares públicos, como a Ágora. Contudo, a grande maioria - mulheres, metecos e escravos ­não participava na vida política.

A Democracia em Atenas

Atenas, como as demais cidades gregas, foi até ao Séc. V a.c. gover­nada por reis (monarquia), nobreza (oligarquia) e por tiranos (tirania). Con­tudo, no século V a. c., estabeleceu-se na cidade-estado de Atenas uma forma de governo diferente das restantes - o regime democrático.

Péricles
Para o estabelecimento deste novo regime político e social foi fundamental a acção de três legisladores - Sólon (c. 640-c. 560 a. c.), Clístenes (508-462 a. C) e Péricles (462-429 a. C). Entre as medidas que tomaram, destacam-se as seguintes:

Sólon - Redacção de leis iguais para todos os homens livres e fim da escra­vidão por dívidas;

Clístenes - Divisão da Península da Ática em 100 demos, agrupados em 10 tri­bos; cada tribo, onde todos eram iguais, elegia anualmente os cida­dãos para os vários órgãos do governo da cidade. Procurava-se, assim, evitar que os ricos dominassem a vida política;


Péricles - Concessão de salários a todos os cidadãos que fossem designados para cargos públicos; desta forma, todos, incluindo os cidadãos mais pobres, podiam participar na vida política.

Vai até estes posts:

http://sol.sapo.pt/blogs/olindagil/archive/2008/01/14/Os-GREGOS-_2D00_-A-cidade-de-Atenas.aspx

http://sol.sapo.pt/blogs/olindagil/archive/2007/12/16/A-Religi_E300_o-dos-Gregos-_1320_-OS-DEUSES-GREGOS.aspx