No seguimento de rumores de que alguns grupos tentariam realizar cerimónias espirituais na pirâmide de Khufu, Mustafa Amin, chefe da autoridade egípcia, disse hoje num comunicado que o local, também conhecido como Quéops, vai estar fechado para visitas até sábado de manhã devido a uma «manutenção necessária».

O fecho daquela que é maior pirâmide do complexo de Gizé segue-se a uma série de relatos não confirmados de que grupos não identificados tentariam fazer rituais maçónicos e judeus naquele sítio devido à raridade da data de hoje: 11-11-11. Amin classificou estes relatos como «completamente desprovidos de verdade».

O director do complexo de pirâmides, Ali al-Asfar, disse hoje que uma empresa egípcia pediu permissão no mês passado para realizar um evento chamado «abraço da pirâmide», em que 120 pessoas dariam as mãos em redor daquela estrutura. As autoridades recusaram tal pedido há uma semana.

No entanto, o assunto tem fervilhado nas redes sociais. «Tem sido uma grande causa no Facebook e no Twitter. Muitas pessoas escrevem sobre isso», diz al-Asfar.

O director avança que o fecho daquela pirâmide nada tem que ver com os rumores de que possíveis rituais ali aconteceriam hoje, dizendo que se trata de uma mera manutenção devido ao elevado número de visitantes na semana passada, devido às festividades do Eid al-Adha muçulmano.

O resto do complexo, que inclui outras duas grandes pirâmides, tumbas numerosas e a Esfinge, permanecerá aberto.

Às 11h11 da manhã, al-Asfar declarou por telefone: «Tudo está normal. A única coisa diferente é o encerramento da pirâmide Khufu».

Escreve o teu nome em hieróglifos egípcios:

http://www.virtual-egypt.com/newhtml/glyph/glyph.html

Fonte:

http://sol.sapo.pt/inicio/Vida/Interior.aspx?content_id=33487