SOL

46 anos

46 anos da Fundação e de Antiguidade

11 de Agosto de 1963  /  11 de Agosto de 2009

Publicação: terça-feira, 11 de Agosto de 2009 0:26 por Tordesilhas

Comentários

# re: 46 anos

terça-feira, 11 de Agosto de 2009 10:01 por ecfamalic

Caro Manuel Peralta

Bons posts e boas férias...

Eduardo

# re: 46 anos

terça-feira, 11 de Agosto de 2009 17:51 por Endireita

Uma pergunta: a data da fundação não é a mesma da antiguidade de um grupo de forcados?

# re: 46 anos

terça-feira, 11 de Agosto de 2009 23:26 por juncal

Caro Manule Peralta

Os meus PARABENS pela excelente lembrança aqui mencionada em Post ao Grupo de Forcados  de Évora que sempre soube dignificar a Festa Brava em PORTUGAL. É um dos melhores grupos e mais prestigiados de Portugal.

Os meus Cumpts.

RM

# re: 46 anos

quarta-feira, 12 de Agosto de 2009 8:57 por Tordesilhas

Caro Eduardo Carneiro

Boas férias também para si.

Um abraço,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

quarta-feira, 12 de Agosto de 2009 9:02 por Tordesilhas

Endireita

No caso do Grupo de Évora a data da fundação é a mesma da antiguidade.

Contudo, a antiguidade perde-se quando um Grupo está sem actuar em mais do que uma época.

Saudações taurinas,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

quarta-feira, 12 de Agosto de 2009 9:04 por Tordesilhas

Meu caro Juncal

Grato pelas suas palavras.

Um abraço para o Canadá,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

sábado, 15 de Agosto de 2009 12:51 por HelderFraguas

Imagino que seja um grupo que se mantém bem activo.

# re: 46 anos

domingo, 16 de Agosto de 2009 12:40 por Tordesilhas

Caro Dr. Hélder Fráguas

Inscritos na Associação Nacional de Grupos de Forcados existem, neste momento, 37 Grupos e mais 7 na condição de pré-associados.

Os mais antigos são os Amadores de Santarém, os de Montemor-o-Novo, os de Lisboa e os de Évora.

Um abraço,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

domingo, 16 de Agosto de 2009 23:13 por Fado

Distinguir Fundação de Antiguidade tem toda a lógica, sim senhor! Mais uma que aprendi com o meu amigo.

Parabéns pelo post e ao GFAE pelos 47 de Fundação e Antiguidade, sempre com aquela galhardia!

Saudações taurinas

OP

# re: 46 anos

segunda-feira, 17 de Agosto de 2009 0:28 por Tordesilhas

Fado

Sim, Fundação e Antiguidade são diferentes, quando um Grupo de Forcados esteve parado por qualquer motivo.

Por exemplo: o Grupo de Forcados Amadores de Montemor foi dado por terminado em 12 de Setembro de 1949, pelo seu cabo Simão Malta.Houve portanto uma interrupção e só em 10 de Abril de 1955 é que ressurgiu novamente o Grupo comandado por Américo Chinita de Mira.

Saudações taurinas,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

segunda-feira, 17 de Agosto de 2009 0:31 por Tordesilhas

Fado

Só uma correcção: O Grupo de Forcados Amadores de Évora fez 46 anos. Mas na realidade está na 47ª. época.

Manuel Peralta

# re: 46 anos

quarta-feira, 19 de Agosto de 2009 7:43 por Fado

Obrigada pela correcção, Manuel... erro de digitação.

Saudações taurinas

OP

# re: 46 anos

quarta-feira, 19 de Agosto de 2009 14:48 por Phaustino

Sabendo eu que o Tordesilhas é grande conhecedor destes assuntos, pergunto:

Nesse caso das antiguidades o Grupo de Montemor tem ou não 70 anos?

# re: 46 anos

quarta-feira, 19 de Agosto de 2009 14:51 por Phaustino

É que vi um anûncio de uma tourada para comemoração dos 70 anos do grupo de Montemor.

Pode ser?

# re: 46 anos

quarta-feira, 19 de Agosto de 2009 23:57 por Tordesilhas

Caro Phaustino

Em 4 de Setembro de 1939 apresentou-se pela primeira vez e numa garraiada o Grupo de Forcados Amadores de Montemor, tendo por cabo Simão Malta.

Esse Grupo terminou em 12 de Setembro de 1949 numa corrida de toiros em Vila Viçosa.

Em 1955, constituiu-se um outro Grupo com o mesmo nome mas não tinha nenhum elemento do Grupo anterior e foi comandado por Américo Chinita de Mira.

Contudo, é geralmente aceite que o Grupo de Montemor teve início em 1949, não obstante ter estado cerca de 5 anos sem actuar.

Portanto não são, na realidade,70 anos de um Grupo a pegar toiros.

Saudações taurinas,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

quinta-feira, 20 de Agosto de 2009 3:45 por Grande

Meu querido e bom amigo Manuel Peralta!

Ora bem!...Sinceramente não entendo muito bem toda esta ?problemática? em relação á antiguidade do Grupo de Forcados Amadores de Montemor-o-Novo, e ainda muito menos a legitimidade de quem convencionou (que eu não sei quem foi), que a quando de alguma interrupção os Grupos perdiam essa mesma antiguidade.

Então e os cavaleiros, matadores e bandarilheiros, também a perdem? Claro que não!

Com os Grupos de Forcados, eu entendo que há casos e casos, nem todos devem ser medidos pela mesma bitola.

Admito que poderá ser um tanto ou quanto diferente, desde que após a interrupção, se dê inicio a uma outra formação, sem que com a qual não exista algum elo de ligação no que diz respeito a antigos elementos da anterior, nomeadamente a antigos cabos.

Daí, existam neste momento Grupos que se intitulam com 100, 150 anos e até mais. Só que ao longo destes anos de actividade e não actividade, nunca existiu quaquer ligação com elementos anteriores, tendo havido até alguns Grupos profissionais intervalados no tempo,usando o mesmo nome que alguns amadores de agora e no que diz respeito a relações pessoais, nunca existiram, não tendo nada a vêr uns com os outros.

Por isso mesmo não entendo tanta preocupação com a antiguidade do Grupo de Forcados Amadores de Montemor, uma vez que para além de ser efectivamente o 2º Grupo mais antigo, não prejudica rigorosamente nenhum outro, tem um precurso complectamente diferente do que atráz referi.

O Sr. Simão Luis Reis Malta, foi eféctivamente o cabo fundador em 1939. Em 1949 diz-se que o mesmo deu o Grupo por terminado. Mas em 1952,1953 e 1954, existem  actuações do Grupo de Montemor, em Montemor, Reguengos de Monsaráz e Santa Eulália salvo erro, cujo mentor, impulsionador e maior entusiasta, foi precisamente o Cabo fundador o Sr. Simão Malta, e cujos elementos eram familiares e amigos de todos os antigos elementos do Grupo fundador.

Em 1955, e também pela mão e total apoio do Cabo fundador Sr. Simão Malta, reconstituiu-se novamente o Grupo de Forcados Amadores de Montemor, comandado pelo Sr. Américo Chinita de Mira, e constituido por elementos cujos laços de amizade e familiares eram totais em relação a todos os anteriores. Dois anos mais tarde, passou a chefiar o Grupo o Sr. Joaquim José Capoulas. Grupo que até aos dias de hoje, tem escrito por essas Praças fora páginas de ouro da Forcadagem.

Como se pode verificar, existiu sempre um ?elo? de ligação entre os vários elementos e gerações, pelo que continuo a não perceber tanta animosidade em relação á antiguidade do Grupo de Forcados Amadores de Montemor, por onde até ao momento, já passaram mais de 350 elementos, existindo nomes e familias que vão na 3ª geração, nomeadamente a minha, que desde o meu Pai (que foi do Grupo fundador), eu próprio e agora o meu filho.

Gostaria que o nome e precurso do Grupo de Forcados Amadores de Montemor fosse um pouco mais respeitado, que não fosse posto no mesmo saco dos tais outros que se dizem centenários, com os quais não existe a mais pequena relação no que diz respeito á ?tal? antiguidade, até porque já fez mais do que o suficiente pelo ?Mundo do Forcado Amador?.

Como tal, meu ?Querido e Grande Amigo Manuel Peralta?, desculpa este meu desabafo, mas para mim ,o Grupo de Forcados Amadores de Montemor-o-Novo tem mesmo ?70 anos de antiguidade?.

Um grande e forte abraço e com todo o respeito, desculpa-me não ser da tua opinião, mas tenho que dizer o que me vai na ?alma?.

Évora, 19 de Agosto de 2009

Joaquim Murteira Correia

# re: 46 anos

quinta-feira, 20 de Agosto de 2009 8:45 por Endireita

Olá Tordesilhas

Estou a gostar desta troca de informações.

Sempre ouvi falar no Grupo do Montijo. Não é dos mais antigos?

# re: 46 anos

quinta-feira, 20 de Agosto de 2009 18:04 por Tordesilhas

Caro Joaquim Murteira Correia

Começo por te agradecer este teu comentário, porque muitas vezes os comentários são a matéria mais interessante nos blogues.

No que diz respeito às tradições dos forcados amadores não se sabe bem quem as legitimou, mas creio que é a própria tradição não obstante de tudo agora poder ser alterado e posto em causa.

Assim, e só como exemplos, são tradições: a maneira de trajar do forcado; a entrada em diagonal do Grupos nas cortesias, a pega de caras ser realizada por oito homens; o Grupo acompanhar o forcado que o vai fazer o brinde da pega; o forcado realizar as tentativas necessárias para a pega ser considerada correcta; o forcado dar a direita ao cavaleiro quando da volta à arena, etc. Estas são algumas das tradições que podem não estar legitimadas e talvez não se saiba quem as convencionou.

O caso das antiguidades é também uma tradição. Assim, quando actuam dois ou mais Grupos na mesma corrida, o Grupo mais antigo forma nas cortesias à direita e pega o primeiro toiro.

E qual é o Grupo mais antigo? O que no passado teve um determinado nome e mais tarde outros Grupos o adaptaram também?

Por exemplo: no começo do século passado existiu um Grupo de Forcados Amadores do Ribatejo, que se extinguiu. Não obstante ao longo dos tempos outros Grupos apareceram com a mesma denominação e existe actualmente um com esse nome. Contudo se na mesma corrida actuar o Grupo de Santarém ? que se formou em 1915 ? e o Grupo do Ribatejo, sairá à direita do Grupo de Santarém? Claro que não.

Podem no entanto surgir algumas dúvidas de Grupos que apareceram e desapareceram o que cria, muitas vezes, algumas dificuldades às Empresas que elaboram os cartazes.

Como é do teu conhecimento, desde muito novo me interessei por tudo o que respeita ao forcado amador e ouvi, sempre com muita atenção, o que os mais velhos diziam sobre o assunto, nomeadamente os conceitos de ?Fundação? e de ?Antiguidade?.

Claro que são conceitos tradicionais e com a legitimidade que essa tradição lhes dá.

Assim, se a data da ?Fundação? pode sempre ser considerada em cada Grupo e segundo um conceito próprio, baseada em histórico ou em informações verbais que foram passando ao longo de gerações e tomadas como verdadeiras, data que cada Grupo poderá comemorar como bem entender.

Já a ?Antiguidade? terá que ter um conceito muito mais sério, porque irá ser confrontada com as dos outros Grupos.

Em geral as dúvidas estão relacionadas com o conhecimento não completo dos historiais dos Grupos e pela confusão de terem existido em anos anteriores outros Grupos com o mesmo nome.

A ?Fundação? tem a ver com a primeira apresentação de um Grupo em Praça, mesmo que essa actuação tenha sido numa garraiada.

A ?Antiguidade? do Grupo está relacionada com actuações sequenciais ao longo dos anos e a passagem de testemunho de cabo para cabo.

Ao fazer-se esta análise, há que ter em conta a ?Cultura do Grupo? e os ?Factos Históricos?.

No que diz respeito à ?Cultura do Grupo? há que se verificar as referências existentes e, no caso de ter havido uma breve paragem, confirmar se manteve os mesmos elementos ou alguns deles e o cabo estar vinculado ao Grupo anterior.

Os ?Factos Históricos? estão relacionados com o suporte documental do início do Grupo, referenciados em livros, jornais ou revistas, bem como cartazes, que provem a continuidade do Grupo ao longo dos anos.

Tem sido assim, mas tudo se pode alterar. Hoje parece fácil alterar tudo.

Contudo é opinião generalizada que a ?Antiguidade dum Grupo ? deve ser respeitada, porque na verdade é muito diferente um Grupo actuar ao longo dos anos ou estar parado. Como diferente também é pegar ou ver pegar toiros. E, em geral, quando um Grupo está parado umas épocas, os seus elementos só viram pegar toiros!

Não concordo com a referência que fazes a actuações de Grupo de Montemor em 1952, 1953 e 1954. Não passaram de tentativas de recuperação do Grupo. Não há histórico desses anos.

Mas, meu caro Joaquim Murteira Correia, o próprio Grupo de Forcados Amadores de Lisboa, que se formou em 1944 e actuou nos anos do interregno do Grupo de Montemor, considerou-se sempre mais moderno. Tanto Nuno Salvação Barreto como José Luís Gomes, saíram com o seu Grupo sempre à esquerda do Grupo de Montemor.

No que diz respeito à comparação que fazes entre as antiguidades dos cavaleiros, matadores e bandarilheiros com os grupos de forcados, não me parece correcta. No caso daqueles, é uma posição individual enquanto nos grupos é colectiva.

Claro que num cavaleiro, matador ou bandarilheiro conta-se sempre o tempo desde a sua alternativa, se bem que não deve ser confundido com o tempo de toureio.

E por se abordarem posições individuais, ?Antiguidade do Forcado? é muito distinta da ?Antiguidade do Grupo?. O forcado pode ter uma ou mais antiguidades, caso tenha pertencido a um ou mais Grupos.

A ?Antiguidade do Forcado? conta-se a partir da primeira vez que se fardou no Grupo e não a perde, mesmo que deixe de se fardar por algum tempo. Se mudar de Grupo passará a ter outra ?Antiguidade? nesse outro Grupo.

Para ti um abraço,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

quinta-feira, 20 de Agosto de 2009 18:05 por Tordesilhas

Caro Endireita

Tem toda a razão. O Grupo de Forcados Amadores do Montijo é um dos mais antigos, tendo sido fundado em  21 de Agosto de 1964 e comandado por Jacinto Carvalheira.

Os cabos seguintes foram: António Sécio, João Pina, Fernando Fernandes,

Rogério Amaro, Jorge Beatriz, Rafael Figueiredo, Ricardo Barroso, José Figueiredo, Marco Nicolau, David Santiago e Ricardo Figueiredo.

Para si um abraço,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

quinta-feira, 20 de Agosto de 2009 21:46 por Grande

Meu bom amigo Manel!

Concordo com quase tudo o que disseste no que respeita ás ?tradições?que devem ser mantidas e preservadas no que diz respeito ao Forcado Amador.

Já o mesmo não acontece com a tua opinião em relação à antiguidade do Grupo de Forcados Amadores de Montemor-o Novo.

Ora,...se até ?Mestre? Nuno Salvação Barreto respeitou sempre essa antiguidade, assim como todo o historial do Grupo de Montemor, porque razão sendo o grupo dele o único interessado na situação, ele o faria? Só por um enorme respeito ao Grupo, seu historial e a essas respéctivas tradições. Quem somos nós para decidirmos o contrário?

Continuo a não entender o porquê desta tua interrogação em relação ao Grupo de Montemor, quando, tal como podes vêr na foto que acima anexo, estão prefilados todos os Cabos quando da comemoração dos 50 anos do Grupo, começando pelo Cabo Fundador Sr. Simão Malta, seguindo-se todos os outros continuadores até então.

É claro que se pode verificar toda uma continuidade aceite por todos, nomeadamente pelo Cabo Fundador.

Como já tive oportunidade de dizer no post anterior, não podemos comparar a situação do Grupo de Montemor, com todas as outras que tu mesmo apontáste.

São coisas complectamente diferentes, aqui existiu sempre continuidade no que diz respeito ás pessoas, amizades, familias, tradições, historial e até numa ?Escola? muito própria na maneira de pegar toiros, até na própria postura dentro e fora da Praça.

Nunca existiu um completo desconhecimento entre os anteriores elementos, os actuais e os vindouros, ao contrário dos exemplos que apontáste, em que quando uns apareciam, nem tinham sabido da existência dos outros.

Sinceramente, em relação ao Grupo de Montemor, não entendo o porquê desta questão, que tal como já comentamos, não está tirando o lugar a ninguém. Pois está no seu lugar de 2º mais antigo, não prejudicando Grupo algum.

Um grande e forte abraço

Joaquim Murteira Correia

PS: Não consigo enviar aqui a fotografia. Vou envá-la para o teu mail

# re: 46 anos

quinta-feira, 20 de Agosto de 2009 23:48 por Tordesilhas

Meu caro amigo Joaquim Murteira Correia

Até parece que estamos em desacordo, mas talvez não passe de um ponto de vista.

Como já referi os Grupos podem fazer as festas que entenderem em comemorações de datas. Se o Grupo de Montemor comemora este ano 70 anos da Fundação, nada o impede de o fazer.

Na minha opinião o Grupo perdeu antiguidade nos anos seguintes a Simão Malta o ter dado como extinto numa entrevista para um jornal, após a corrida de 12 de Setembro de 1949 em Vila Viçosa. Simão Malta não fez a entrega do Grupo a Chinita de Mira e os elementos que se apresentaram na Praça de Montemor em 10 de Abril de 1955 nunca se tinham fardado anteriormente.

Antiguidade recuperada quando Chinita de Mira apareceu a comandar o Grupo em 1955 e daí para a frente sempre com continuidade e transmissão da chefia de cabo para cabo: Joaquim José Capoulas; António José Zuzarte; João Cortes; Paulo Vacas de Carvalho; Rodrigo Corrêa de Sá e José Maria Cortes.

A questão de ser ou não o 2º. Grupo mais antigo não se põe, porque tal nunca foi colocada pelos Amadores de Lisboa.

Claro que é interessante ao longo dos tempos diversos elementos serem de famílias que anteriormente pertenceram ao Grupo de Montemor. Como é interessante a foto com os cabos antigos. Na realidade todos fazem parte da mesma ?família? e sempre com dignidade honraram a jaqueta, conseguindo ultrapassar com êxito épocas bem complicadas.

Entendo que é sempre interessante os elementos de qualquer Grupo conhecerem o seu historial, porque todo o passado deve ser respeitado. O respeito deverá ser redobrado para os que, em épocas mais difíceis, conseguiram a continuidade do Grupo.

Tenho para mim que o difícil não é fundar um Grupo de Forcados. O difícil é dar-lhe continuidade mantendo a ética e o pundonor de forcado amador. E, meu caro Joaquim Murteira Correia, nem todos os cabos dos diversos Grupos o conseguiram ou quiseram fazer.

Por fim e pelo Grupo de Forcados Amadores de Montemor: VENHA VINHO!

Para ti um abraço e os meus agradecimentos por esta troca de ideias, que servirá certamente para quem se interessar por estes assuntos da Pega e do Forcado,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 1:23 por portocego

Parabéns e a minha admiração para todos os grupos de forcados, pela sua valentia e pela dignidade com que entram na arena para uma parte da lide, a pega (perdoem-me se não é esta a forma correcta de dizer) que, regra geral, coloca toda a bancada de pé e também em suspense.

Daniela

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 1:25 por Tordesilhas

Daniela

Um OLÉ! para si,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 3:44 por juncal

Caro Manuel Peralta

Apenas vim ver. O debate está interessante, com nível, cada um defendendo as sua teses e formas de interpretar as antiguidades.

Alguém fez os regulamentos.

Mas o mais importante mesmo é  o FORCADO que é quem mais dignifica a FESTA BRAVA em PORTUGAL e em todo Mundo aonde sita o Touro para a pega.

Boa continuação e um Bom fds.

Um abraço a todos

RM

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 9:12 por Tordesilhas

Meu caro Juncal

Actualmente os Grupos de Forcados são só amadores e neste e outros aspectos não há regulamento. Há sim a ética e a tradição. Deve imperar o bom-senso.

São sempre os cabos dos Grupos que se devem entender e hoje há a Associação Nacional de Grupos de Forcados que pode mediar.

Um abraço para si, de Santarém para o Canadá,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 10:02 por Fradeunico

Belas prosas.

Quem quiser aprender passe por aqui.

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 11:01 por Grande

Manel!

Pelo que estou a vêr, esta nossa troca de ideias está a ser seguida com muito interesse por muitas pessoas de "Bem", o que é de louvar e me deixa muito felíz,já que se constituí numa óptima divulgação dos conhecimentos e principios de ética do FORCADO AMADOR.

Por tudo isto e para todos, um grande "VENHA VIMHO, VENHA VINHO", "VENHA"....

Saudações taurinas e um grande abraço.

Joaquim Murteira Correia

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 15:22 por Tordesilhas

Meu caro Frade

Não são ensinamentos mas só umas trocas de informações.

Há sempre um acumular de conhecimentos relacionados com a experiência da vida.

Da minha parte, passarei com agrado os conhecimentos tauromáquicos que tenho porque amanhã já sei mais.

Um abraço para si,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 21:07 por juncal

Caro Maunel Peralta

Quero-lhe pedir desculpa antes demais e agradecer também ao nosso confrade desta blogsfera Joaquim Murteira Correia pela forma generosa que agradeceu a todos os intervenientes e desejar-lhe muita SORTE.

Aproveito para lhe dizer que isto da aficion é uma coisa muito forte, pode crer que quando entro numa praça de Touros (com aquelas saudades todas) a  primeira coisa que me ocorre é as lágrimas nos olhos.É a emoção que junta os sentimentos de cultura e Patrotismo.

Um Grande abraço amigo. Se nos virmos (Lá estarei)pela Moita... VENHA VINHO.

Para si Caro Manuel até um dia destes se DEUS quiser.

RM

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 21:36 por Tordesilhas

Meu caro Juncal

Os melhores votos para que nas suas próximas férias cá em Portugal tenha possibilidade de ver umas boas corridas de toiros.

Um abraço,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 21:46 por Fradeunico

Registei esta sua argumentação:

"Entendo que é sempre interessante os elementos de qualquer Grupo conhecerem o seu historial, porque todo o passado deve ser respeitado. O respeito deverá ser redobrado para os que, em épocas mais difíceis, conseguiram a continuidade do Grupo."

A que grupo de forcados se está a referir?

Aproveito para lhe enviar os parabéns por ter um blogue temático com comentárioas interessantíssimos.

Os meninos contra as touradas deviam vir por aqui tentar aprender. Digo tentar, só isso.

# re: 46 anos

sábado, 22 de Agosto de 2009 14:05 por Tordesilhas

Meu caro Frade

A generalidade dos Grupos de Forcados passam por vezes por períodos menos agradáveis, situações que nem sempre estão relacionadas com as colhidas e tratamentos hospitalares. São desentendimentos que só a firme determinação do cabo pode superar.

Dois exemplos:

1º. Em 1974 António José Zuzarte era o cabo legítimo dos Amadores de Montemor e veio a ter conhecimento que, com o apoio de alguns elementos antigos e  já retirados do Grupo, fez-se anunciar em Montemor um outro Grupo exactamente com a mesma denominação, tendo criado uma grave polémica não só na terra mas também nos meios aficionados. Esta situação prolongou-se até ao começo de 1978 e deverá ter sido a mais complicada de resolver no historial do Grupo.

2º. Nos Amadores de Évora houve uma cisão em 1978, quando saíram do Grupo 14 elementos. Não foi fácil reorganizar e só uma tenacidade obstinada do cabo João Patinhas permitiu a continuação do Grupo em condições demasiado adversas.

Caro Fradeunico, estes são dois exemplos de dificuldades que surgiram em dois Grupos de Forcados Amadores. Muitas mais houve em outros Grupos e alguns não as conseguiram ultrapassar.

A determinação do cabo em situações difíceis é fundamental, mas se ele não sentir apoio de alguns elementos provavelmente não terá sucesso. Por isso digo: o  respeito deverá ser redobrado para os que, em épocas mais difíceis, conseguiram a continuidade do Grupo.

Para si as melhores saudações taurinas,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

sábado, 22 de Agosto de 2009 17:49 por Tordesilhas

Meu caro Joaquim Murteira Correia

Como foi abordado aqui o VENHA VINHO!, tão querido dos Grupos de Forcados Amadores, aqui fica um apontamento sobre o assunto que em tempos escrevi no meu blogue PARTEBILHAS:

http://sol.sapo.pt/blogs/partebilhas/archive/2007/02/22/Venha-Vinho_2100_.aspx

É só clicar em cima.

Um forte abraço,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

segunda-feira, 24 de Agosto de 2009 13:50 por Endireita

Não se haverá aqui uma grande confusão nesta conversa bem interessante?

Um meu amigo da Moita, que esteve também a ler estas suas linhas, garante que o Chinita de Mira foi cabo mas de outro Grupo. Do Grupo de Forcados Amadores do Ribatejo.

Pode ser?

# re: 46 anos

segunda-feira, 24 de Agosto de 2009 19:56 por Grande

Amigo "Endireita"!

O meu amigo Manuel Peralta vai-me de certeza desculpar, pois vou-lhe responder a essa sua interrogação, que tem toda a razão de ser:

O Sr. Américo Chinita de Mira, foi sim senhor, também cabo fundador do Grupo de Forcados Amadores do Ribatejo, onde se iniciaram grandes forcados, tais como Medinas de Oliveira,que infelizmente faleceu bem cêdo nesse "monstro" da estrada, Manuel Pires de Lima, Carlos de Oliveira, Tadeia,etc e muitos outros que de momento já não sou capáz de enumerar, aos quais peço desde já as minhas sinceras desculpas , isto no ano de 1965 ou 66, já não posso precisar bem o ano.

Nessa altura vivia ele e trabalhava em Santarém.

Contudo, anos antes, em 1955, foi precisamente ele,o Sr. Américo Chinita de Mira, o Cabo continuador do Grupo de Forcados Amadores de Montemor-o-Novo,tendo permanecido nesse cargo durante dois anos, após os quais, passou o testemunho a Joaquim José Capoulas.

Julgo ter esclarecido as suas dúvidas.

As minhas cordiais saudações taurinas.

Joaquim Murteira Correia

# re: 46 anos

segunda-feira, 24 de Agosto de 2009 21:25 por Endireita

Caro amigo Grande

Obrigado pela atenção.

Fiquei esclarecido.

# re: 46 anos

segunda-feira, 24 de Agosto de 2009 22:08 por Tordesilhas

Caro Endireita

Já vi o apontamento que escreveu o meu amigo e colega Joaquim Murteira Correia.

Contudo irei acrescentar um pouco mais sobre o Grupo de Forcados Amadores do Ribatejo:

-- em 23 de Setembro de 1963, apresentou-se este Grupo na Praça de Toiros da Nazaré e era constituído por Manuel da Cruz (cabo), Manuel Lourenço, Correia Morais, Joaquim Afonso Fontes, Jorge Moedas, Henrique Campeão, Manuel Martins Cordeiro, Manzoni de Sequeira, Carlos Faria de Almeida, Manuel Pires de Lima, João Luís Cardoso e Abílio dos Santos Nogueira.

-- Manuel da Cruz  foi cabo deste Grupo também em 1964.

-- Os cabos seguintes foram: Américo Chinita de Mira (1965/66); Juliano Louceiro (1967/68); Júlio Parente d?Almeida ( (1969/1971); Rui Souto Barreiros (1972/1980).

-- Américo Chinita de Mira foi novamente cabo dos Amadores do Ribatejo (1981/82. Contudo o Grupo só fez uma corrida em 1981 e 3 corridas em 1982).

-- De 1983 a 1986 o Grupo não actuou.

-- Em 1987, Luís Suspiro aparece como cabo de um outro Grupo de Forcados Amadores do Ribatejo e actua numa corrida em Santarém.

-- Rui Souto Barreiros volta a ser o cabo dos Amadores do Ribatejo (1987/1992)

-- Sérgio Lopes é o cabo deste Grupo de 1992 a 1994

-- Em 1995 o Grupo não actuou.

--A partir de 1996 o Grupo foi chefiado por Joaquim José Penetra

Um abraço,

Manuel Peralta

# re: 46 anos

segunda-feira, 24 de Agosto de 2009 22:57 por Fradeunico

Quem fala assim não é gago.

# re: 46 anos

quarta-feira, 26 de Agosto de 2009 8:33 por Endireita

Mestre Tordesilhas

Só agora li esta sua resposta. Agradeço o rigor e o detalhe.

Para comentar necessita de estar registado